Você já viajou ou já pensou em viajar para o Uruguai? No último novembro estivemos em Montevidéu e Colônia do Sacramento!

Os uruguaios com quem tivemos oportunidade de contato foram muito atenciosos. A impressão que tivemos desse povo foi a de que a simplicidade é um valor nacional importante, refletido não só pelos modos do presidente (já apresentados pela mídia mundial), mas pela lida cotidiana da população com o ter. Nas palavras de um uruguaio, eles costumam ser pouco ostensivos – o que gostam é de investir em boas festas para comemorar as ocasiões especiais e a passagem do tempo. Mas, mesmo na quantidade e na qualidade do comer e do beber, é possível simplicidade. Um bom churrasco, um bom azeite, um bom vinho…  O estabelecimento Juanicó onde funciona uma tradicional vinícola é bom exemplo disso. Passear com o cachorro pela rambla, pescar… Comprar legumes, antiguidades ou algum pequeno agrado na feira de Tristan Narvaja, de onde é possível, inclusive, sair feliz sem levar nada além da prazerosa sensação de tê-la visitado. Felicidade no Uruguai pareceu custar muito barato, não por conta da conversão da moeda, mas pela gratuidade dos melhores momentos.


tn_IMG_9222

Já pensou? Quando humanos voam
o chão é o céu.


 

tn_IMG_9234

Quem dera ter
o atirar-me
como mais impune dos vícios para
todos os dias precipícios


 

tn_IMG_9245

Minha vida é um emaranhado
feito coisa una quando em movimento
Palitos metálicos
A fazer a roda dianteira a fazer
vespa motoqueira.


 

tn_IMG_9265

Demorei a perceber: a rigidez
do ferro
pode torcer corações!


 

tn_IMG_9270

O que mais me encanta não são os verdes
as luzes, as penumbras
São os pratos equilibristas
Dançando com o peso imaginário das águas
suas salsas, suas rumbas.


 

tn_IMG_9330

Felicidade não precisa ser tão difícil
Basta comparecer!


 

tn_IMG_9357

Ah, os pássaros!
Mesmo uma revoada de mansas pombas
provocada na praça cimentada
guarda um quê de selvageria…
Disso a gente ria, com a graça abobada
que é divertir-se com mixaria.


 

tn_IMG_9402

Quando a estrada é longa
as nuvens tem a gentileza de parecer mais fofas
nuvens para isso?
Nuvens paraíso.


 

tn_IMG_9458

As palavras brindam em
rabisco pueril
enquanto o vinho
ainda barril


 

tn_IMG_9546

Paradoxo: um navio rente a praia está à deriva
sem cais
longe estiva


 

tn_IMG_8905

Que ironia:
Quem trai o gato
é a distraída pomba


 

tn_IMG_8937

O riso dos amigos
espalhado na espuma do mar
Azul´a praia.


 

tn_IMG_8948

Qualquer dos lados da mureta
mar concreto
Prefiro carregar como cetro
o bronze total de quem margeia.


 

tn_IMG_8950
Todos batem à porta do muro
Aturo reboco
Finjo-me oco
Ele responde em tom
sempre idêntico.


 

tn_IMG_8956

Ter amigos. Sair para pescar
é tão bom quanto
sair para conversar


tn_IMG_8979

Deixa-me pedalar no contrafluxo dos autômatos
Só por hoje.


tn_IMG_8999

Conto que vi uma pomba cruzar a linha de chegada.
E que ela – pasme! – calçava tênis vermelhos.


 

tn_IMG_9001

Um robô
Um sorvete
Uma casa de sapo
Um cartão postal.


 

tn_IMG_9024

Em meio aos reflexos
um pássaro real não pousa


 

tn_IMG_9047

Um teto para sê-lo precisa de gente
Um teto a cobrir o ausente é sempre ruína.


 

tn_IMG_9051

Cristais:
Temos aí, talvez, um parente distante do
Diamante?


 

tn_IMG_9095

As imagens da cruz
por mais belas
nos fazem sempre doer as costelas.


 

tn_IMG_9109

Cada cadeado levado
é sozinho
um amor jurado
Cada cadeado trancado
é junto
um amor pesado.


 

tn_IMG_9137

Casas cujos habitantes parecem saídos de algum passado
Casas em cujos antes parecemos ter estado.


 

tn_IMG_9138

Bem tenta a luz do poste
Mas de costas um para o outro
esses dois
Nunca farão as pazes.


 

tn_IMG_9149

Há sempre um momento
No qual depois de muito andar no mesmo
compasso
Dá-se uma bica no b-mol
para esticar-se numa ripa partitura
debaixo do mormaço.


 

tn_IMG_9159

Sirva-se desse jardim. Não é comestível, é alívio.


 

tn_IMG_9180

De tanto esperar a noiva sem porquê
o carro começa a parecer um véu e
a calçada ensaia ser bouquet


 

tn_IMG_9183

A proporção dos sonhos tudo inverte
Gosto, por exemplo, de sonhar que a pequena porção daquela ilhazinha, terra inerte
já é, por que não?, Buenos Aires.


 

tn_IMG_9211

Somos o observador do observador do observador ao infinito.


 




Foto: Paulo Andrade
Verbo: Andressa Barichello


Comentários no Facebook

comentários

Sobre o Autor Andressa Barichello

Autora de "Crônicas do Cotidiano e Outras Mais" (Scortecci Editora, 2014). Além de escrever, é mestre em Direito e Literatura pela Universidade de Lisboa.

comentários no fotoverbe-se (0)

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode utilizar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>